#EleNao – We stand in solidarity with Brazil’s LGBTQI communities / Em solidariedade com as comunidades LGBTQI do Brasil

 

 

Brussels, 30th October 2018

 

This past Sunday, the 28th of October, far right candidate Jair Bolsonaro, was elected as the President of Brazil.

Considering the candidate’s public statements, which include misogynist, racist, homophobic, and transphobic remarks, as well as appeals to violence and discrimination, IGLYO would like to express its support for the local populations at risk.

The winning candidate has publicly defended torture and has endorsed other dictators, such as Augusto Pinochet and João Figueiredo.

Among other things, former military general Jair Bolsonaro, stated that he would be incapable of loving a homosexual son and would rather him dying in a car accident, that his children were too educated to date black women, and deemed a female minister too ugly to be raped.

As the biggest LGBTQI youth organization in the world, we are concerned about the mainstreaming and legitimisation of hate speech and violence by a government institution. We fear for the safety and well-being of our friends in Brazil and the erosion of their fundamental rights.

The presidency of Jair Bolsonaro can pose a huge risk to Indigenous Peoples and quilombolas, traditional rural communities, LGBTI people, black youth, women, activists and civil society organizations.

Loosening gun control laws, granting prior authorization for law enforcement officials to kill, reinforcing military education, ending racial quotas, and promises to clamp down on organized social movements and activists, directly jeopardizes the safety and well-being of already marginalized communities, such as indigenous tribes and black youth.

Furthermore, Bolsonaro’s natural resource exploitation projects and loosening environmental regulations actively endanger the right of all people to a healthy environment, further compromising the lives of young Brazilians, in both urban and rural areas.  

We call on all European institutions and organizations to show their continued support for Brazil’s LGBTQI communities.

We stand against homophobic, transphobic, misogynistic, racist (and other forms of) hate speech.

We stand against any kind of fascism.

We will continue to defend democracy and human rights for all.

We stand in solidarity with our LGBTQI friends and all other minorities and groups targeted by Jair Bolsonaro’s hate.

#EleNao

 


 

Bruxelas, 30 de Outubro 2018

 

No passado Domingo, dia 28 de Outubro, o candidato de extrema direita Jair Bolsonaro, foi eleito Presidente do Brasil.

Tendo em conta as declarações públicas do candidato, que incluem observações misóginas, racistas, e transfóbicas, e incentivos à violência e discriminação, a IGLYO gostaria de expressar o seu apoio às populações locais em risco.

O candidato vencedor defendeu publicamente a tortura, tendo também manifestado o seu apoio a antigos ditadores, tais como Augusto Pinochet e João Figueiredo.

Entre outras declarações, o ex-general militar Jair Bolsonaro, afirmou que seria incapaz de amar o seu filho caso este fosse homossexual, preferindo que o mesmo morresse num acidente automóvel; disse também que os seus filhos são demasiado educados para se envolverem com uma mulher negra, e declarou considerar uma deputada demasiado feia para que ser violada.

Como a maior organização a nível mundial de jovens e estudantes LGBTQI, estamos preocupades com a disseminação, normalização e legitimação de discurso de ódio e violência pela parte de uma instituição governamental. Tememos pela segurança e bem-estar dos nossos amigos, amigas, e amigues no Brasil, e a erosão dos seus direitos fundamentais.

A presidência de Jair Bolsonaro representa uma enorme ameaça às populações indígenas e quilombolas, comunidades rurais tradicionais, pessoas LGBTQI, juventude negra, mulheres, activistas, e organizações da sociedade civil.

O enfraquecimento de leis para o controlo de armas, a permissividade face à violência policial e autorização dada para matar, o fortalecimento da educação militar, o fim das quotas raciais, e promessas para suprimir e silenciar movimentos sociais e activistas, tratando-os como terroristas, compromete directamente a segurança e o bem-estar de comunidades já marginalozadas, tais como tribos indígenas ou a juventude negra.

Ademais, os projectos de Bolsonaro para a exploração de recursos naturais e enfraquecimento de leis de regulamentação ambiental, afecta activamente os direitos de todas as pessoas a um meio ambiente saudável, comprometendo ainda mais a vida da juventude brasileira, tanto nas áreas rurais como urbanas.

Fazemos um apelo a todas as instituições e organizações europeias para que demonstrem o seu apoio continuado às comunidades LGBTQI do Brasil.

Posicionamo-nos contra a homofobia, transfobia, misoginia, racismo, e todas as formas de discurso de ódio.

Posicionamo-nos contra qualquer tipo de fascismo.

Continuaremos a defender a democracia e os direitos humanos para todos, todas, e todes.

Declaramos a nossa solidariedade pelos nossos amigos, amigas, e amigues LGBTQI e todas as outras minorias e grupos vítimas do ódio de Jair Bolsonaro.

#EleNao

© 2018 IGLYO, Chaussée de Boondael 6, Brussels B-1050, Belgium.